Fitoterapia Chinesa

Infelizmente a fitoterapia chinesa é muito mal vista aqui no Ocidente, talvez isso seja explicado devido a falta de referências de especialistas no assunto. Ao contrário de outras, a fitoterapia chinesa aglomera 6 ou  mais ervas com intuito bem definido, como evitar efeitos colaterais durante o tratamento de uma doença.

Como o próprio nome sugere, a fitoterapia é uma técnica terapêutica por meio das plantas e na China ela já existe a mais de três mil anos. As receitas eram escritas em pergaminhos cujo conteúdo é válido até hoje.

No ano de 1973 foram achados quatorze livros de medicina em Chang-She, onde constam relatos sobre o começo da medicina herbária na China. Tais fontes citam 52 doenças, 283 receitas e 247 plantas, tais como: alcaçus, scutellaria, atractylodes, cnidium e diversas outras que são usadas hoje em dia.

Existem também demais manuscritos elaborados a. C., porém apenas os livros encontrados em Shan Hai Ching forem recuperados. Neles encontram-se referências de plantas e animais utilizados como medicinas.

fitoterapia chinesa

Segundo relatos, o livro foi escrito por Shen Nung após realizar vários testes usando plantas medicinais o qual se encontra no Ching, contendo cerca de 365 ervas. Os políticos da China publicaram um arquivo contendo 5.767 modelos de ervas medicinais, embora na prática seja utilizada apenas 300 ervas, aproximadamente.

O interessante é que várias das receitas usadas atualmente são idênticas àquelas existentes durante a Dinastia Han, contendo somente pequenas modificações. Esse conhecimento sobre as ervas medicinais são estimulados em várias partes do mundo, sendo reconhecido por diversos órgãos de saúde pública.

Pra elaborar uma receita fitoterápica chinesa é necessário ter conhecimento das possibilidades energéticas, curativas e sinérgicas proporcionada por cada planta medicinal, isso é, sua interação com as demais.

Nessa receita, encontramos uma planta Rainha, aquela que vai dirigir a ação da fórmula, temos também as ervas auxiliares da rainha bem como as assistentes, que são importantes para  o conforto do paciente, tratando o estômago para que possa receber a receita completa, e também as ervas mensageiras que transportam as ervas para o ambiente necessário.

A medicina Ocidental e Medicina Chinesa possuem divergências e princípios bastante nítidos, a começar pelo fato de uma ser fundamentada a respeito da experiência empírica acumulada, separando os medicamentos conforme suas propriedades químicas e seus efeitos colaterais.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.

Este site usa cookies e outras tecnologias similares para lembrar e entender como você usa nosso site, analisar seu uso de nossos produtos e serviços, ajudar com nossos esforços de marketing e fornecer conteúdo de terceiros. Leia mais em Política de Cookies e Privacidade.